Amiga? Da Onça!

Foi a minha amiguinha que me apresentou o dito-cujo e, mais tarde, deu meu telefone para ele – mesmo sem perguntar se poderia. Só que isso não tinha mesmo a menor importância já que eu tinha gostado dele desde o dia que o vi. Ele ligou, eu não sabia se aceitava um convite para sair ou não, mandou um e-mail e, como burralda que sou, uma hora acabei aceitando.

A partir daí tudo começou a mudar. O encontro foi bem divertido, descobrimos algumas coisas em comum e passamos a ser companhia constante um do outro. Em pouco tempo, ainda que eu tivesse relutado um pouco, ele já conhecia minha família, já tínhamos viajado juntos, conversávamos todos os dias e fazíamos planos. Tudo ia às mil maravilhas, eu tinha conhecido um homem que gosta de filme infantil, torce para mesma escola de samba e time de futebol que eu, lê filosofia e antropologia e, ainda por cima, liga no dia seguinte.

Amiguinha, se achando A cupido, sentia-se no direito de perguntar como iam as coisas, me chamava para conversar e, ainda que eu respondesse a tudo vagamente, não se fazia de rogada e ficava dando opiniões sobre relacionamento amoroso. Volta e meia vinha com aquele papo chatinho de que seria a madrinha de casamento, quando casar nunca havia sido tema de conversa entre nós. O povo se mete, né?  Como se não bastasse, perguntava para o dito-cujo as mesmas coisas que perguntava para mim.

Pois bem: eu sou burra, mas não sou otária. E, quem me conhece sabe bem, eu não gosto de falar de mim. Parei de contar qualquer coisa e, se antes eu respondia vagamente, passei a não responder coisa alguma. Mudava de assunto, respondia outra coisa e assim foi até o dia em que ela não se agüentou e me chamou “para conversar”. Não sei onde estava com a cabeça para aceitar.

Durante a tal conversa, a amiguinha começou a colocar caraminholas na minha cabeça, dizendo que dito-cujo que devia ter uma mulher em cada porto, que homem é tudo safado, que eu não devia me apegar, que deveria ter cuidado e não me envolver, que tinha que definir o relacionamento. Foi nessa hora que eu não me contive: quem era ela para dizer o que EU deveria fazer? Ouvi a tudo calada, mas respondi, já de forma grosseira, que o que a gente tinha pertencia a nós e que ela não precisava se meter. Paciência tem limite.

É claro que fiquei revoltada e desconfiada. Se ela o conhecia, falava com ele e me apresentou, podia ter um motivo para vir com essa conversinha. Ele podia ter ficado com alguém, podia ter dito que não queria nada sério comigo, podia ter confidenciado alguma coisa. Pensar nisso me deixava ainda com mais raiva. DELA. Porque, se sabia, por que não falou? E, se não quer falar, por que ficar colocando pulga atrás da minha orelha?

Se agi certo ou errado não sei, mas à noite contei tudo para o dito-cujo. Não dava para ficar engasgada alimentando meu câncer, nem fingir que estava achando tudo muito normal. Compartilhar isso com ele, de certa forma, me acalmou. Podia até ser que minha burrice estava mais aflorada do que em outras épocas, mas eu acreditava nele. Havia decidido que se tivesse que fazer papel de burra nesta história, que fosse por minha própria conta.

Tempos depois dito-cujo falou que a amiguinha veio, toda-toda e sem ser chamada, dizer que ele era jovem, que precisava conhecer outras mulheres e não deveria começar um novo relacionamento agora, tinha que se permitir aproveitar mais a vida (será que nessa hora ela apontou para si mesma?!).  Eu mereço! Logo ela, que já queria ser até madrinha de casamento, estava semeando a discórdia – de um lado e do outro.

O problema é que de amiga da onça o mundo está cheio. Vai ver aquela uma que está se convidando para ser madrinha do seu casamento, que pergunta como estão os pombinhos e diz palavras cuti-cuti sobre o casalzinho é a mesma que afirma, quando você não está perto, claro, que ele deve aproveitar mais  a vida. Só que essa parte o seu dito-cujo ainda não lhe contou.

Sobre a autora Todas as publicações

Giseli Rodrigues

Mãe do Lucas. Escritora. Professora. Revisora. Especialista em Letras, Recursos Humanos e Gestão Empresarial. Estudante de Psicologia. Chocólatra. Flamenguista. Pintora nas horas vagas. Bem-humorada. Feliz.

27 ComentáriosDeixe um comentário

  • Isso me lembra alguém…:)

    Não sei se minha “amiga” falou algo parecido para o dito-cujo… mas foi a primeira a apontar todos os defeitos do meu relacionamento, dele (para mim) e os meus (para ele), como se o relacionamento dela fosse perfeito…

    Acho que não preciso dizer que hoje ela não é mais minha amiga, né? E nós continuamos juntos e muito bem, obrigada!

  • Idiotilde minha filha, cruz em credo, pé de pato, mangalô três vezes!
    Graças ao bom Deus, tem homem q corre desse tipo de mulher e ela própria se queima com seu próprio veneno. Quase uma auto-combustão.
    Mas como vc mesma disse, têm os outros q ainda não contaram.

    Perigo, perigo.

    Bj.

  • Eu hein. Mas aparece cada sanguessuga na vida da gente q vou te contar!!
    Mas e aí? ela sumiu? ele sumiu?
    e o “the end” amigan?????!!!!

  • Incrivel essa mulher. Parece até coisa de novela mexicana.
    Eu nunca conto nada do meu namorado pra ninguem, isso os homens fazem de esperto: manter a boca bem fechada. Pra que ninguem fique cobiçando o que está com a agente. Mas voce está de parabéns, foi bem esperta, agente tem que por em prática o que aprende com a vida.

  • Hummm…. O nome desse joguinho é “briguem vocês dois”. Sua amiguinha (tb já tive a desagradável experiência de ter uma assim) simplesmente queria bancar sua “salvadora”, a quem vc ficaria imensamente grata (na cabeça dela) e depois ela te enviaria a “fatura” para pagar. A cobrança viria na forma de: “Vc me deve atenção total, veja como fui legal com vc, sou mais esperta que vc, te dei todas as dicas e SÓ por isso vc se deu bem com o cara. O que seria de vc se não fosse EU”…
    E ai de vc, querida Idiotilde, se se atrevesse a ignorar qualquer pedido de atenção dessa sua amiguinha intrometida, manipuladora, pegajosa e sabichona!! Ela espalharia aos quatro ventos o quão ingrata vc é, depois de TUDO o que a “bondosa prestativa” criatura fez por vc…
    Tb é muito provável que ela iria COMPETIR com vc, seduzindo o cara apenas para “provar” que ela é “melhor”.
    Ai, ai, ai, esse tipo de mulher é desprezível. Faz-se de meiga, boazinha, solícita, indispensável, adora ouvir seus problemas, suas histórias (mas raramente fala da vida dela), dá palpites em tudo, tem um faro ultra-sensível para detectar suas necessidades e corre para oferecer soluções prontas (mesmo sem ser chamada), geralmente é popular, falante e sorridente. Engana bem, viu?! Pelo menos no começo. Tome muito cuidado…

    Na verdade são um poço de carência não assumida (e, claro, não resolvida), costumam vingar-se quando vc não as “agradece” eternamente pelo “grande favor” que lhe fizeram e geralmente preferem profissões como enfermeira, secretária ou assistente social, onde até que se dão muito bem.
    Recomendo que fuja imediatamente, tranque a porta de sua casa e deixe seu pit bull faminto no quintal!!

    Um grande abraço!

  • Dor de cotovelo. NEM MAIS. e cuidado que AMIGO HOMEM intermediário, gay ou nao gay (pq hetero tem ciuminho, mas por motivos diferentes) faz EXACTAMENTE o mesmo.

  • Definitivamente, isso me lembra alguém… mas é sempre bom lembrar que não é uma questão de sexo, credo ou etnia, é questão de azar. Existem homens e mulheres sem senso de honra, sinceridade e brio. E infelizmente isso não é traço de personalidade, às vezes a gente age errado e faz cocô na cabeça alheia também, que ninguém é santo.
    Porém, um olhar atento e duas ou três boladas nas costas podem até não curar as burrices de amor, mas ajudam a curar as de amizades erradas.

  • Putz vc é burra mesmo, não deveria ter contado a ele, deveria ter investigado.
    Uma vez uma amiga me ligou contando q o meu namorado ñ era bem o que eu imaginava ser, como o cara era um principe comigo eu achei q era inveja dela e acreditei na palavra dele, me ferrei!!!
    Ele me traia, era um fingindo, traira e safado.
    Um ano depois minha amiga ligou, eu ñ ligava pra ela pq estava com vergonha, ela me desculpou e disse q me entendia pq mulher quando se apaixona fica idiota.
    Ainda bem que voltamos a ser amigas.
    É preciso investigar e conhecer toda a verdade antes de qualquer atitude, sem que ele saiba, pois quando contei pra ele o rapazinho me enganou e me envolveu de um jeito que achei que minha amiga era uma monstra… deu no que deu, a coitada só queria me alertar.
    Agora ele ta enganando outra idiota.

  • oi… ano passado recebi em minha casa uma ‘amiga’ e sua filha, elas vieram morar comigo
    pois estavam com problemas financeiros e como tbm tinha me separado e sabia bem o que era isso, resolvi ajudar… minha amiga arrumou um namorido, que praticamente veio morar junto, bom, por causa deles acabei conhecendo meu ‘namorido”… no começo td uma maraaaa
    mas com o tempo minha amiga começou com uns papos estranhos: tipo ele tá no trabalho mesmo? sabe como homem é né… o engraçado é q essa conversa começou qdo o namoro dela estava indo ralo a baixo… e o dito namorado dela começou a semear a discordia nos ouvidos do meu namorado, chegando a dizer que eu e minha amiga estavamos querendo sair a noite livre leves, belas e soltas, pelas costas deles… e eu em casa com meu filho,,, Chegou sábado meu namorido chega do trabalho, com meio metro de tromba e uma cara pra lá de feia… precisamos conversar, ok… então ele me contou o que o amigo andava falando de mim e da namorada, das insinuações … bom, só sei que a amiga se foi e levou um belo pé na bunda do namorido canastrão e acabou voltando pro ex marido, e eu to aqui em casa, faceirinha esperando meu maridinho voltar do trabalho… mas aprendi uma lição, minha amiga é minha mãe…

  • Oi Idiiiiiiiiiiiii!!!

    Só esse site para me fazer rir quando estou no maior bode de todo o universo.
    Mas enfim!!! Queremos saber o fim da históriaaaaaaa!!!!

    Bjins!
    *Grazy

  • Nossa esse post. me lembrou exatamente a minha ultima burrice com os homens, e acabei de crer que amigas da onça.Tem até demais.
    Aconteceu da mesma forma só que com um finalzinho diferente, o ”dito-cujo” sumiu simplesmente sumiu, o principe que ligava tdos os dias mandava sms sempre agora virou sapo da pior especie, e a amiguinha vive me perguntando dele,de mim, de nós e eu vivo contornando a historia sempre,quem sabe um dia ela não desiste de saber da vida alheia..rsrs

    Beiijinhus KaH♥

  • Ihh, menina, desse tipinho o mundo tá cheio! O problema delas é ver os outros conseguir com facilidade a felicidade que elas não conseguem nem a base de muito esforço! Não suportam ver o sucesso e a felicidade dos outros, isso as deixa arrasadas! Mas quer saber? Vc agiu de maneira corretíssima! Dê logo um passa fora e siga seu caminho ao lado da pessoa que vc ama, vc vai ver que afastando esse tipo de energia, a gente fica ainda mais feliz, eu já to vacinada, esse tipo de cobra não me pica mais, bem que tenta, mas não me pica!

  • Sei como é, no caso a minha amiga da onça também arranjava tudo, desde jantas para eu ver o cafa até botar lenha na minha paixonite. No caso, uma noite ela ficou com o cafa (não que ele me devesse algo, MAS ELA DEVIA COMO MINHA MELHOR AMIGA!)

    Agora prefiro não arranjar mais novas amizades por ai, prefiro minhas amigas dos tempos de colégio.

  • Ja vivi isso, mais de uma vez, e é por essas e outras q não acredito em amizade entre mulheres quando há um bofe no meio. Pois a amizade vira concorrencia.
    Da primeira vez, eu estava namorando, tudo ia bem, tudo lindo…porem a “minha amiga”, se tornou quase uma irma siamesa, chengando qdo ele estava, palpitando, então eu disse a ele, sei bem quem ela é, se voce chegar perto, vou descer o barraco, como ele estava firme comigo e não tinha contato com ela sem mim, ele me atendeu, e ela se mancou.

    Da segunda vez, resolvi radicalizar, eu tava de rolo com um cara, mas sabia que não daria em nada,era o típico cafa, e dai a vida é minha: numa noitada que fui com ela e ele estava, ela que já havia dito que ele não prestava, veio toda impávida dizer, “sabe o que q eu acho…”, nem deixei ela terminar a fraze, eu disse NÃO SEI, E NÃO QUERO SABER, o seu direito de falar termina onde começa o meu de querer ou não ouvir, e eu não pedi sua opinião, ela toda sentida disse “vc está sendo grossa”, ao que respondi e voce inxirida e inconveniente, enfim,

    nunca ouvi uma mulher dizer “peguei meu marido na cama com minha pior inimiga, hahaha

    Presto sempre atenção nas “amigas” sempre solicitas a dar conselhos, acaso elas são amadas e vivem um relacionamento bacana? NÃO

    O importante não é o que se diz, e sim quem diz!
    bjs e boa sorte com suas “amigas prestativas”

  • HAHAHA Pois iso daí é fichinha perto da história que eu passei com o meu músico. O pior é que a amiga da onça na verdade é um gay filho da !#@$%[email protected]$#@¨.
    Cda dia que sento na frente do PC pr acontar a minh ahistória por vcs eu sou tomada por um ódio tão grande que isso me faz mal. Não conisgo escrever.

    Me vi envolvida num quadrado amoroso cheio de intrigas e mentiras sem nem mesmo saber. Bosta. Ainda estou apurando os fatos pra saber quem dos 3 estava mentindo, mas tá difícil

  • OLha aconteceu algo mto parecido comigo,tinha uma amiga que vivia falando mal de um carinha que eu ficava e qdo eu terminava com ele ela vinha e falava pra eu voltar.Eu não entendia nada , até que depois que ele terminou comigo fiquei sabendo que ela ja tinha ficado com ele na epoca que eu ainda ficava com ele….nao xinguei nem briguei com ela e nem com ele poque afinal de contas ja estava td acabado…mas dai se tira a lição que amiga de verdade é a sua nececer

  • Fico feliz em saber que não fui a única a passar por isso.

    Na verdade nunca descobri nada, mas sempre desconfiei do interesse dessa “amiga” pelo meu namorado, que no caso, há 1 ano já é ex.
    Quando conheci ele, os dois já se conheciam há alguns dias de um xurras, mas não eram amigos.
    Começamos a namorar e ela normalmente estava presente nas festas, bares e xurras. Algumas vezes até convidada por nós.
    No dia a dia percebia que uma hora ela elogiava demais ele, e em outras detonava, e na presença dele ela sempre dava um jeito de ficar próxima.
    Comecei a ficar atenta e sutilmente evitar os encontros quando eu estava acompanhada do namorado.
    Essa “amiga” é daquelas que sempre quer ser o centro das atenções, adora chamar atenção e sua frase favorita é dizer que está gorda, mesmo estando sempre magra e bonita, na verdade o que ela quer mesmo é sempre receber elogios e ser notada. Isso irrita a maioria ao redor dela, e a criatura não se dá conta, ou faz que não entende.
    Enfim, devido a essa atitude e por algumas outras, me afastei dela, e hoje solteira, oquando a encontro, bservo a atitude que ela tem com o namorado de outras, e tudo me faz crer que ela realmente dá emcima de todos, não por interesse no cara, mas com o objetivo de ser desejada.

Deixe uma resposta para Bibiana Cancele esta resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *